sábado, 31 de dezembro de 2011

Crendices e Superstições de Ano Novo



Crendices e superstições de Ano Novo

Acredita-se que comer lentilha traz sorte, pois, como é um alimento que cresce, faz a pessoa crescer também;

Uma das simpatias mais comuns feitas no Ano Novo para atrair dinheiro é a da romã. Chupe sete sementes na noite de Réveillon, embrulhe todas num papel e guarde o pacotinho na carteira para ter dinheiro o ano inteiro;

O consumo de aves, como o peru e o frango, e o de caranguejo não é indicado na ceia de Ano Novo. Como esses animais ciscam ou andam para trás, acredita-se que quem comê-los regride na vida;

Guarde uma folha de louro na carteira durante o ano inteiro para ter sorte;

Coma três uvas à meia-noite, fazendo um pedido para cada uma delas;

Jogue moedas da rua para dentro de casa para atrair riqueza;

Dê três pulinhos com uma taça de champanhe na mão, sem derramar nenhuma gota, e jogue todo o champanhe para trás para deixar tudo o que for ruim no passado;

Passe as 12 badaladas em cima de uma cadeira ou banquinho e depois desça com o pé direito;

Pule num pé só (o direito), à meia-noite, para atrair coisas boas;

Não passe a virada do ano de bolsos vazios para não continuar o ano inteiro com eles vazios;

Coloque uma nota no sapato para chamar dinheiro;

No dia 31, faça uma boa limpeza na casa, varrendo-a de trás para frente. Coloque para fora todo lixo, objetos quebrados e lâmpadas queimadas. Não guarde as roupas do avesso;

Para evitar energias ruins, muitas pessoas lavam os batentes das portas com sal grosso e água e borrifam água benta nos quatro cantos da casa;

Na primeira noite do ano, use lençóis limpos;

À meia-noite, para ter sorte no amor, cumprimente em primeiro lugar uma pessoa do sexo oposto;

Quem pretende viajar bastante no ano que se aproxima, deve pegar uma mala vazia e dar uma volta dentro de casa;

Abra as portas e janelas da casa e deixe as luzes acesas;

O primeiro negócio do ano nunca deve ser fiado nem com pessoa pobre.

Fonte: Guia dos Curiosos


 

sábado, 24 de dezembro de 2011

Anjinho da Alegria


ANJINHO DA ALEGRIA
Guida Linhares
Era uma vez um anjinho que morava numa constelação muito distante da Terra. Nesta dimensão celestial, todos os anjos tinham a sua missão e a do anjinho Samuel era espalhar alegria no coração dos homens. E assim ele passava horas cósmicas a apreciar em sua tela de computador intergaláctico,como andavam as coisas com os terráqueos e percebia que havia muitas desigualdades sociais, muita ambição desmedida e falta de solidariedade entre uma boa parte das pessoas. Mesmo sendo um pequenino anjo, ele tinha a sabedoria dos iluminados e portanto pensava muito em como desempenhar a sua missão, espalhando sementinhas de alegria no coração dos humanos.
O Natal estava chegando. Ele via que muitas pessoinhas viviam em orfanatos, ou porque não tinham família, ou porque as famílias os maltratavam e então tiveram que ser afastados do convívio familiar, e assim recebiam atenção e cuidar dos funcionários das instituições onde moravam.
Percebeu também que haviam tantas outras pessoas, sózinhas e tristes, sem uma perspectiva de vida, sem saber como aliviar a angústia do coração.
Então teve uma idéia e a colocou em prática. Em sonho, apareceu às pessoas e soprou em seus ouvidos que a alegria estava bem próxima, num sorriso de criança e que deveriam sair e procurá-lo.
As pessoas que eram tristes, acordaram com uma vontade enorme de ver crianças sorrindo e logo lembraram dos orfanatos, e cada uma destas pessoas comprou brinquedinhos e doces e foi visitar as crianças, onde quer que elas estivessem.
E quando chegaram, foram recebidos com muito carinho,e a cada criança que sorria, dois anjos também sorriam. Aquele que foi "voluntariamente" distribuir um pouquinho do seu amor, e aquele anjinho celestial, muito feliz por estar cumprindo na Terra a sua missão de paz e amor, com a mais pura das alegrias, a que vem do coração amoroso.
As crianças ficaram tão felizes quanto aqueles que foram visitá-las e assim todos ganharam presentes, e o mais especial, a alegria de um Feliz Natal.

Santos/SP/Brasil
17/12/06

 

domingo, 24 de outubro de 2010


As Danças Circulares sempre estiveram presentes na história da humanidade - nascimento, casamento, plantio, colheita, chegada das chuvas, primavera, morte - e refletiam a necessidade de comunhão, celebração e união entre as pessoas.

Foi Bernhard Wosien(1908-1986), bailarino clássico, coreógrafo, pedagogo e pintor, que nas décadas de 50/60 percorreu o mundo recolhendo e resgatando as danças de diferentes povos. Em 1976 visitou a Comunidade de Findhorn no norte da Escócia e, a pedido de Peter Caddy, um de seus fundadores, ensinou pela primeira vez uma coletânea de danças folclóricas para os residentes.

Bernhard Wosien já estava com mais de 60 anos e buscava uma prática corporal mais orgânica para expressar seus sentimentos. Ele percebeu que havia encontrado o que procurava, pois dançando em Roda, vivenciou a alegria, a amizade e o amor, tanto para consigo mesmo como para com os outros, e sentiu que as Danças Circulares possibilitavam uma comunhão sem palavras e mais amorosa entre as pessoas.

De 1976 em diante centenas de Danças foram incorporadas ao repertório inicial e o movimento passou a se chamar "Danças Circulares Sagradas". E desde então este movimento se espalhou pelo mundo.

A Dança Circular se chama e se torna Sagrada pelo fato de permitir que os participantes entrem em contato com sua essência, com seu EU Superior, com a Centelha Divina que existe dentro de cada um de nós. No momento deste contato, temos a união do corpo(matéria) com o espírito.


No Brasil, as Danças chegaram através de Sarah Marriot que viveu em Findhorn e foi convidada a vir para o Brasil em 1983 e iniciar um trabalho de educação holística no Centro de Vivências Nazaré (hoje Nazaré Uniluz), comunidade fundada em 1981 por um grupo de pessoas lideradas por Trigueirinho em Nazaré Paulista no Estado de São Paulo. A partir daí, pessoas de Findhorn vieram ao Brasil e brasileiros foram até lá e o movimento começou a expandir.

Em 1990, Christina Dora(Sabira) vai a Suiça e conhece Maria Gabriele Wosien, e traz as danças para Nova Friburgo no RJ. Nesta ocasião Patrícia Azarian conhece as Danças Circulares e se inicia um trabalho de expansão no Rio de Janeiro.

Qualquer pessoa, de qualquer idade, pode dançar em uma Roda. Não é preciso ter experiência anterior em dança, basta ter vontade, querer entrar em contato com a alegria e com a possibilidade da comunhão entre os seres humanos.

Dançando, nosso corpo se expressa através do movimento e aquieta a mente.A alegria brota naturalmente e o movimento simples e repetido aproxima as pessoas, promovendo uma integração física, mental, emocional e espiritual.

As Danças Circulares promovem uma rápida integração de grupos, reflexões sobre o trabalho em equipe, compreensão sobre conflitos, o despertar da criatividade, a integração dos hemisférios cerebrais, a ativação corporal, meditação dinâmica, conexão com seu Eu superior.



PESQUISA > http://www.dancascircularesrj.com.br/50.html

OBS: Praticar a dança circular é bom demais; é como se todos estivessem irmanados em um só ideal, de paz e amor...experimente quando surgir a oportunidade e depois me conte...com carinho, guida









segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Brincando de amarelinha

I

Será que vou amarelar

e não passar do inferno,
se a pedrinha não resgatar?


II

Quero chegar no céu!

Vou jogar a pedra longe,
pulando com cuidado.


III


Dez quadrados em desafio,
nos duplos parece fácil pular

Só complica no dois em um!


&&&


Santos/SP/Brasil
14/09/10


&&&

Técnica do Jogo da Amarelinha

(Pesquisa)

Para começar, basta desenhar no chão dez quadrados, conforme mostra a ilustração. O tamanho de cada um deles deve ser suficientemente grande para caber os dois pés de uma pessoa. Em cada ponta, deve ser feito um círculo: inferno, onde começa o jogo, e céu, onde ele termina.

As crianças (não há um número máximo de jogadores) fazem fila e a primeira deve atirar a pedra na casa de número 1, seguir todo o trajeto até o céu, retornar e resgatar a pedra. É preciso pisar com uma perna só nas casas individuais ou com os dois pés nas casas duplas. A ideia é ir, a cada rodada, atirando a pedra mais longe até que o alvo seja o céu. Se jogá-la fora do quadrado, pisar na casa onde ela está ou fora da linha, deve-se voltar para a anterior. Quem completar primeiro o jogo, ou seja, quem alcançar o céu, ganha.

http://bebe.abril.com.br/canais/dican/velhas-novas-brincadeiras.php




Brincando com a imagem


SABOR DE LIBERDADE
Guida Linhares

I


Na mão que afaga,
o amor ganha asas,
voando tal qual o colibri.

II

Tão bom sentir
a docura da amizade,
sem fazer dela um grilhão.

III

Um bom amigo,
deixa que alcemos voo,
para contemplar a florada.

IV

Não se queira aprisionar
quem tem asas p`ra voar.
Liberdade é essencial.

Santos/SP/Brasil

13/09/10



terça-feira, 20 de julho de 2010

Brincando com imagens


Quando olho para o céu,
vejo o teu semblante.
Reflexo da saudade!



Ah! Se eu pudesse,
te prenderia para sempre,
dentro do meu coraçao.


Uma doce música
invade o ambiente perfumado
de belas flores e divinos amores.

Seleção de Poetrix
Guida Linhares

&&&

Santos/SP/Brasil
20/07/10

Imagens > Google



domingo, 13 de junho de 2010


VIDA & ARTE

Guida Linhares

Pois é...quando somos criança, o mundo parece um conto de fadas, onde poderemos realizar todos os desejos.....


...então crescemos e vamos entendendo que nem tudo é assim tão simples, e que as fadas e duendes continuaram morando no faz de conta, enquanto nós habitamos um novo formato de mundo....

E será nele, que escolheremos caminhos, compartilhando alegrias e tristezas, tecendo a rede da nossa vida, com tudo aquilo que nos parece bom e certo.....


...pois viver é uma arte que se aprende diariamente, convivendo com todos os estímulos externos e internos, procurando a melhor forma de ser feliz.

Contudo que deixemos sempre aflorar a criança que existe dentro de nós, aquela que continua a nos fazer sonhar e acreditar que a melhor brincadeira da vida é a arte de amar e ser amado.

Santos/SP/Brasil
14/06/10